logo

Olá, América!

  • Home
  • /
  • Catálogo
  • /
  • Olá, América!
pdf Veja por dentro
  • Autor
  • Coleção
  • ISBN 9789895644582
  • PVP 18.79 € (IVA incluído)
  • preço fixo até
  • 1ª Edição maio de 2021
  • Edição atual 1
  • Páginas 256
  • Apresentação Capa mole
  • Dimensões 153x235x17 mm
  • Disponibilidade
    Disponível
  • Comprar

Nova tradução de um dos livros mais representativos de Ballard, há muito esgotado nas nossas livrarias.

«Cadillacs, Coca-Cola e cocaína, presidentes e psicopatas, Norman Rockwell e a máfia… esse sonho que é a América vai continuamente decompondo os seus códigos, qual espiral de ADN ideológico. Mas o que aconteceria se olhássemos apenas para esse aspecto exterior dos Estados Unidos e, com base nessas imagens, construíssemos uma América alternativa? Muito possivelmente, o simulacro revelaria algo da agenda secreta que se esconde sob a tão apelativa superfície do sonho americano.»

 Um século após o brutal colapso financeiro e a catástrofe climática que assolaram os EUA, ditando o abandono em massa do continente, o SS Apollo zarpa de Plymouth, Inglaterra, com um pequeno grupo de exploradores determinados em descobrir a fonte da radiação aí detetada — uma fuga numa central nuclear? Uma ogiva em decadência?; mas a América que encontram é irreconhecível: a partir das grandes cidades do Este, agora semi-submersas, estendem-se novos desertos, povoados por estranhas tribos, cidades-fantasma e ecos do passado; e, a Oeste, florescem agora florestas tropicais em redor de uma Las Vegas totalmente iluminada por néons, onde, nas mãos do presidente Charles Manson, se arriscam jogos de poder e loucura que poderão bem ser o início de um novo fim.

Republicação, com nova tradução de Miguel Romeira, de um dos livros mais representativos do autor de Crash, Arranha-Céus e Reino de Amanhã, há muito esgotado nas livrarias. 

Livro que explora o tema distópico e o tom apocalíptico próprios de J.G. Ballard, autor incontornável da Literatura do século XX, num enredo que conjuga ficção científica e política, alertando para as futuras grandes catástrofes ecológicas.  

«Mordaz e inventivo. Ballard no seu melhor.» — New Statesman

 

J. G. Ballard, filho de pais ingleses, nasceu em 1930 em Xangai para onde o pai tinha ido trabalhar, e morreu em 2009. Na sequência do ataque a Pearl Harbor, ele e a família foram colocados num campo de prisioneiros civis. Regressou a Inglaterra com a mãe e os irmãos em 1946. 

Após dois anos em Cambridge, onde estudou Medicina sem concluir o curso, Ballard escreveu para publicidade e foi porteiro em Covent Garden, antes de partir para o Canadá como piloto da Força Aérea britânica. Começou a escrever contos na década de 1950 e estreou-se na ficção mais longa em 1962: The Drowned World é o primeiro romance de uma das mais sólidas carreiras da ficção contemporânea. Celebrizou-se pela sua autobiografia, Império do Sol (adaptada ao cinema por Steven Spielberg), mas é em romances como Crash, Arranha-Céus e Reino do Amanhã que se encontram os seus temas obsessivos: os efeitos psicológicos da cidade e da tecnologia na alienação do ser humano.

 

Livros publicados


Reino do Amanhã

    Inédita em Portugal, esta é a última obra publicada por J.G.Ballard, um dos grandes autores de sempre da ficção contemporânea.

    Crash

      Publicado originalmente em 1973, Crash continua a ser um dos romances mais chocantes do século XX, tendo sido adaptado para cinema, sob o mesmo título e com igual controvérsia, por David Cronenberg.

      Arranha-Céus

        «Mais tarde, sentado na varanda a comer o cão, o Dr. Robert Laing refletiu sobre os estranhos acontecimentos que nos últimos três meses tinham ocorrido no interior do prédio enorme.»